Vai ficando cada vez melhor...

18:27

27 de fevereiro de 2017.

Ouvindo "Um dia após o outro" - Tiago Iorc {meu favorito do momento!}


Eu me lembro quando estava grávida de meu primeiro filho; durante toda a gestação, ouvi conselhos até mesmo sem pedir. Todos eles sempre giravam em torno de dificuldades, normalmente relacionadas ao sono, a um afastamento temporário no relacionamento, a mudanças internas e também na solidão inicial e novo rol de amigos. Ficava brava com essas pessoas que só me alertavam sobre as dificuldades mas não amaciavam isso com o lado bom da maternidade. Dizia ao Lu: 'quanto pessimismo em torno de uma nova vida!'
Até que um belo dia um casal de amigos finalmente nos disse: "dá trabalho, mas vai ficando cada vez melhor!"

Meu primogênito então, nasceu. Enfim eu me tornava mãe. O tempo foi passando e eu finalmente entendi cada um dos conselhos que me haviam sido dados. A verdade é que ali não se instalava qualquer tipo de pessimismo e sim, a realidade, a vida como ela é. 

Todavia, aquele casal amigo que apesar de tudo sempre enxergava o copo meio cheio não me saía da cabeça: "vai ficando cada vez melhor". 
Tenho absoluta certeza que é este realmente o fluxo para ganharmos fôlego e assim, querer continuar. 

Vai ficando cada vez melhor porque, aos 2 meses, no intenso, profundo e único período do puerpério, seu filho começa a sorrir pra você; 
Vai ficando cada vez melhor porque, aos 4 meses, ele começa a virar pra lá e pra cá e a interação  entre vocês começa a ficar mais gostosa; 
Vai ficando cada vez melhor porque, aos 6 meses, ele começa a sentar e suas costas, a agradecer;
Vai ficando cada vez melhor porque, a partir de então, logo ele começa a engatinhar e a ter um pouquinho mais de liberdade e você, de fôlego; 
Vai ficando cada vez melhor porque, de repente, seu filho está andando pra lá e pra cá, desbravando e explorando;
Vai ficando cada vez melhor porque, um belo dia, inesperadamente, você vai ganhar um abraço e ouvir o 'eu te amo' mais sincero da sua vida.

E olha que meu primogênito tem apenas 2 anos e meio. Fico imaginando o que vem pela frente!

É claro que tudo realmente mudou, se transformou: a exaustão pelas noites mal dormidas está presente; o afastamento temporário do meu marido acontece pelas tantas e tantas demandas imediatas de nossos filhos, exigindo tanto ou quase tudo de nós; na mudança do rol de amigos também rolou um 'checked' e a transformação interna, então, esta veio vestida de realidade escrachada desde quando peguei meu filho no colo pela primeira vez. Porém, ela foi sempre muito edificante e única, sendo possível unicamente através desta vivência da maternidade e da paternidade.

Tem uma frase de Artur da Távola que eu gosto demais e que levo pra minha vida. É uma de minhas frases preferidas. Assim ele escreveu:  "Eis a felicidade possível: compreender que construir a vida é renunciar a pedaços da felicidade para não renunciar ao sonho da felicidade."

Minha família é e sempre será meu sonho da felicidade.
E é por isso que vai ficando cada vez melhor... ❤



Meu beijo,
L. 

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe