Solte sua criança.

04:41

E hoje é quarta-feira! Primavera! Eu gosto da época das flores, das cores. Aliás, sempre gostei de Setembro. Além de ser o mês de meu aniversário, muitas coisas boas acontecem sempre neste mês. E superstições à parte, é bom acreditar em coisas que nos convém, né?

Apesar de estar "a little bit sick, but just a little", hoje acordei feliz. Otimista. Com uma vontade absoluta que todas as coias dêem certo. Claro que o tempo de Deus é diferente do nosso, mas de vez em quando a gente desanima porque as coisas não saem como o esperado. Não, não. Hoje é dia de renovar a fé! De plantar o amor! De ser feliz, afinal!!

E pra começar o dia com um ânimo ainda melhor, nada como um texto de Artur de Távola. Pura sensibilidade. Puro amor. Pura sinceridade e pura pureza, por que não?
Simplesmente encantador... Tenhamos todos um dia iluminado!!!!!


"... sem soltar a criança, nenhum amor é bonito. Não tema o romantismo. Derrube as cercas da opinião alheia. Faça coroas de margaridas e enfeite a cabeça de quem você ama. Saia cantando e olhe alegre. Recomendam-se: encabulamentos; ser pego em flagrante gostando; não se cansar de olhar, e olhar; não atrapalhar a convivência com teorizações; adiar sempre, se possível com beijos, “aquela conversa importante que precisamos ter”; arquivar se possível, as reclamações pela pouca atenção recebida. Para quem ama toda atenção é sempre pouca. Quem ama feio não sabe que pouca atenção pode ser toda atenção possível. Quem ama bonito não gasta o tempo dessa atenção cobrando a que deixou de ter. Não teorize sobre o amor (deixe isso para nós, pobres escritores que vemos a vida como criança de nariz encostado na vitrine, cheia de brinquedos dos nossos sonhos). Não teorize sobre o amor, A M E. Siga o destino dos sentimentos aqui e agora. Não tenha medo exatamente de tudo o que você teme, como: a sinceridade; não dar certo; depois vir a sofrer (sofrerá de qualquer jeito); abrir o coração; contar a verdade do tamanho do amor que sente. Jogue pro alto todas as jogadas, estratagemas, golpes, espertezas, atitudes sabidamente eficazes (não é sábio ser sabido): seja apenas você no auge de sua emoção e carência, exatamente aquele você que a vida impede de ser. Seja você cantando desafinado, mas todas as manhãs. Falando besteiras, mas criando sempre. Gaguejando flores. Sentindo o coração bater como no tempo do Natal infantil. Revivendo os carinhos que instruiu em criança. Sem medo de dizer, eu quero, eu gosto, eu estou com vontade. Talvez aí você consiga fazer o seu amor bonito, ou fazer bonito o seu amor, ou bonitar fazendo seu amor, ou amar fazendo o seu amor bonito (a ordem das frases não altera o produto), sempre que ele seja a mais verdadeira expressão de tudo o que você é e nunca, deixaram, conseguiu, soube, pôde, foi possível, ser. Se o amor existe, seu conteúdo já é manifesto. Não se preocupe mais com ele e suas definições. Cuide agora da forma. Cuide da voz. Cuide da fala. Cuide do cuidado. Cuide do carinho. Cuide de você. Ame-se o suficiente para ser capaz de gostar do amor e só assim poder começar a tentar fazer o outro feliz".


Artur da Távola

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe